por Abia

Ações de responsabilidade social das indústrias de alimentos para o enfrentamento da Covid-19 chegam a R$ 64 mi e doações ultrapassam 2.700 toneladas

Desde o início da pandemia no Brasil, indústria alimentícia garante o abastecimento de alimento em todo o País e contribui para a manutenção de empregos do setor

Na contramão da maioria dos setores da economia brasileira, a indústria de alimentos e bebidas, considerada atividade essencial, realizou contratações e continuou produzindo mesmo após a implementação da quarentena em todo o Brasil, devido a pandemia do novo coronavírus. Até o momento, a indústria de alimentos já contratou 6 mil profissionais, e desde o final de março, quando começou a disseminação da Covid-19 no Brasil, o setor reforçou seus protocolos de higiene e segurança, enviou funcionários administrativos para home office, abriu novos turnos em fábricas e reorganizou as linhas de produção para evitar a contaminação de funcionários.

A indústria alimentícia do Brasil assumiu o compromisso de continuar trabalhando com segurança para abastecer o País e reforçou suas ações de responsabilidade social, apoiando a sociedade no enfrentamento ao coronavírus. De acordo com levantamento da ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos), as indústrias de alimentos e bebidas doaram mais de 2.700 toneladas de alimentos, além de recursos financeiros para compras de equipamentos hospitalares, investimento em pesquisas e aquisição de testes rápidos para Covid-19. As doações foram distribuídas entre instituições beneficentes, hospitais e unidades de saúde, profissionais autônomos, associações de comunidades, lares de idosos, governos estaduais e prefeituras. O setor também doou cerca de 4 milhões de máscaras de proteção, além de produtos de limpeza e higiene.

“Desde março, a indústria de alimentos mantém e até aumentou o nível de empregos do setor, sem demissões, e ampliou consideravelmente seus programas de responsabilidade social. Nesse momento, quando os governos estaduais já preparam a retomada gradual das atividades econômicas, é importante que cada setor da economia brasileira faça a sua parte. Nós temos trabalhado para ajudar quem mais precisa a enfrentar essa crise com dignidade e esperança, e não será diferente neste momento de retomada. O Brasil pode contar com a indústria de alimentos”, diz João Dornellas, presidente executivo da ABIA.

Veja as ações realizadas pelas empresas do setor:

AB Brasil realizou a doação de 80 toneladas de mistura para bolo para as comunidades de Paraisópolis, Heliópolis e para creche ABCD Nossa Casa, no Bom Retiro, em São Paulo, e o fundo de Solidariedade da cidade de Pederneiras (SP). A ação espera alcançar mais de 100 mil famílias. A empresa também doou 80 toneladas de alimentos para comunidades carentes do Rio de Janeiro.

Ambev anunciou a doação de 180 mil litros de água potável, por meio de sua marca de água mineral AMA, em parceria com a CUFA (Central Única das Favelas), para moradores do Complexo do Alemão, beneficiando mais de 30 mil pessoas. Além disso, a empresa fabricará 3 milhões de máscaras do tipo face shield, destinadas aos profissionais de saúde do País, e também doará um milhão de unidades de álcool em gel a todas as Secretarias Estaduais de Saúde das 27 unidades federativas do Brasil.

AQIA Química Industrial doou álcool em gel para as Secretarias de Saúde de Guarulhos (SP) e Araxá (MG), Hospital das Clínicas da USP, ONG Olhar de Bia e para o Asilo Casa Solar.

Bauducco, por sua vez, doou 100 toneladas de produtos destinados ao Governo do Estado de São Paulo, municípios de Extrema (MG) e Rio Largo (AL). Ainda está prevista a doação de mais 105 toneladas até o final de junho, incluindo outras localidades nos estados de SP, MG e AL.

Bimbo, dona das marcas Pullman e Ana Maria, doou 252 quilos de alimentos para diversas associações que abrigam idosos, como a Associação Beneficente Guilhermina Maria de Jesus e Associação de Auxílio Mútuo da Região Leste, ambas em São Paulo. A empresa também realizou doações para outras entidades beneficentes.

Biscoitos Bela Vista distribuiu 250 kits de biscoito, com 745g cada, para caminhoneiros. A empresa também doou 1 tonelada de biscoitos para a ONG Banco de Alimentos, instituição que atua em São Paulo em parceria com outras 41 entidades - que prestam apoio a comunidades, favelas e abrigos. 

BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, anunciou ações solidárias no valor de R$ 50 milhões de reais, que abrange a doação de 2,5 milhões de refeições para os próximos três meses, favorecendo mais de 15 mil pessoas/dia em instituições hospitalares, incluindo hospitais de campanha. Além disso, insumos médicos e apoio a fundos de pesquisa e desenvolvimento social no combate aos efeitos da pandemia, fazem parte das doações. A iniciativa contempla, em um primeiro momento, cerca de 60 hospitais em 50 municípios de 9 Estados. Além disso, a empresa realizará a doação de insumos médicos, como testes e termômetros, equipamentos de proteção individual, como capas plásticas, toucas e batas descartáveis, álcool em gel, respiradores e outros que se façam necessários, que serão destinados, prioritariamente, a instituições de saúde dos estados e municípios onde a BRF possui unidades produtivas, centros de distribuição e escritórios corporativos.

Cargill tem colaborado com a entrega de alimentos, ingredientes e outros produtos para atender às urgências das comunidades. A ação acontece no interior de São Paulo, onde a Cevasa, usina da Cargill localizada em Patrocínio Paulista, está produzindo álcool líquido 70% para doação. A planta já conta com estrutura, profissionais capacitados e segue padrões de segurança para produzir etanol para combustíveis, por isso foram necessárias somente pequenas adequações para a produção de álcool líquido, conforme as orientações das autoridades em saúde. A operação começou no início da segunda quinzena de março e já conseguiu auxiliar unidades de saúde do interior paulista.

A Danone doou R$ 4,3 milhões em produtos para os estados de São Paulo e Minas Gerais. Foram 130 toneladas de alimentos para São Paulo e mais 80 toneladas para Minas Gerais. As doações contribuem para a montagem de cestas básicas que beneficiarão diretamente pessoas em situação de vulnerabilidade social. Entre os itens, estão suplementação especial para adultos e idosos, iogurtes com probióticos, produtos de origem vegetal e bebidas.

Dr. Oetker Brasil realizou a doação de cerca de 6,5 toneladas de produtos da empresa, entre bolos, sobremesas e snacks salgados. A empresa também contribuiu com a doação de alimentos para Institutos de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) no estado de SP.

A empresa de produtos nutricionais DSM doou 1,2 mil testes para a detecção da Covid-19, máscaras, álcool em gel e custeou horas de uma empresa de recrutamento que atuará na contratação de profissionais da área de saúde para hospitais da periferia de São Paulo. A companhia também anunciou doações de R$ 10 mil para a ONG Stop Hunger e outros R$ 10 mil para a ONG Gastromotiva. Mais recentemente, destinou 1000 cestas de produtos DSM para o programa SESC Mesa Brasil.

Givaudan do Brasil, empresa que desenvolve aromas e fragrâncias para indústria alimentícia, doou para 120 famílias da Comunidade Nova Jaguaré, em São Paulo, voucher para compras em supermercados cadastrados. A companhia também distribuiu cestas de alimentos e produtos de higiene para 110 famílias do Projeto Naia, também em São Paulo, e para outras 450 famílias dos alunos da Escola Estadual Deputado Augusto do Amaral. Foram doadas também 5 mil unidades de álcool em gel e 100 unidades de máscaras.

GL Foods Worldwide realizou a doação de farinha de milho e especiarias, além de uma mistura em forma de sopa para instituições beneficentes em Jundiaí, Taboão da Serra e Grande São Paulo. A empresa também doou 3,4 mil máscaras à prefeitura de Jundiaí, para que foram distribuídas à população em geral. Promoveu também a realização de duas campanhas internas para doação de alimentos e produtos de higiene e limpeza às comunidades próximas à empresa.

Grupo 3Corações doou cerca de 60 toneladas de alimentos entre café, flocos de milho, capuccino, café com leite e refresco em pó para mais de 60 entidades em todo Brasil. Além disso, também foram doados EPIs e materiais hospitalares para a Secretaria de Saúde de São Miguel e Mossoró, municípios do estado do RN.

Hershey realizou doações de produtos para os hospitais de São Roque (SP), atendendo um total de 1 mil colaboradores, para 15 mil alunos da rede municipal de São Roque e para 3 mil crianças do Orfanato Casa do Zezinho, em São Paulo. Doou também 2.100 cestas básicas para o Fundo Social de São Roque, atendendo 700 famílias por 3 meses.

Josapar, dona da marca Tio João, doou arroz para a Associação Anjo Rafael, em Fortaleza (CE). O alimento será utilizado para a confecção de cestas básicas para os projetos sociais da instituição.

Leão Alimentos e Bebidas, dona das marcas Del Valle e Matte Leão, realizou a doação de bebidas para lares de idosos. Foram 389 caixas de sucos, chás verdes e água de coco.

Kellogg doou 39 toneladas de alimentos para os estados de SP e SC, para o município de São Lourenço do Oeste (SC), onde fica a fábrica da empresa, para instituições indicadas pelo Ministério da Cidadania e para o projeto Mesa Brasil, do SESC. A Kellogg também doou R$ 111 mil para a prefeitura de São Lourenço do Oeste, destinados à compra de insumos hospitalares.

McDonald’s efetuou doações para instituições de saúde e para apoio aos caminhoneiros. Foram 26 mil combos doados para 70 unidades de saúde em 44 municípios brasileiros, além de 43 toneladas de alimentos para instituições beneficentes. A meta é chegar a 100 mil combos doados para profissionais da saúde, organizações que combatem a fome, caminhoneiros e agentes de segurança pública. Uma importante iniciativa de apoio à comunidade foi ofertar de forma gratuita cursos sobre segurança alimentar, higiene e desenvolvimento sustentável para micro e pequenos empreendedores do setor de alimentação; com quase 2000 inscritos.

M. Dias Branco, por sua vez, anunciou a doação de 367 toneladas de alimentos para instituições carentes em seis capitais – Fortaleza, Salvador, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo, por meio da Campanha dos Hemocentros.

Mondelez, dona de marcas como Oreo, Lacta e Trident, anunciou a doação de 220 toneladas de produtos entre biscoitos, sucos em pó e chocolates, em parceria com o banco de alimentos SESC Mesa Brasil nos estados do PR, PE, SP e AL. Além disso, a empresa doou meio milhão de ovos de páscoa por meio de bancos de alimentos e instituições parceiras em todas as regiões do país. No dia das mães, a Lacta patrocinou a Live do Rei Roberto Carlos e doou 1kg de alimento a cada foto postada nas redes sociais com a hashtag #CadaPedacinhoAproxima. Com a iniciativa, a marca alcançou o equivalente a cerca de 20 toneladas de produtos doados, entre itens do portfólio da empresa e outros produtos não perecíveis como arroz, feijão, óleo, por exemplo.

Nestlé doou mais de 480.000 máscaras cirúrgicas para hospitais e Ministério da Saúde, e mais de 350 mil equipamentos de proteção individual para a Cruz Vermelha Brasileira, o equivalente a R$ 1,3 milhão. A empresa também está disponibilizando para os caminhoneiros produtos de higiene nos locais de espera, e realizou a doação de alimentos em kits individuais para consumo, além de folhetos com as instruções para prevenção contra o novo coronavírus. No total, a Nestlé doou mais de 800 toneladas de alimentos, além de R$ 3 milhões para a iniciativa Apoie um Restaurante.

Nissin Foods doou Cup Noodles para profissionais de hospitais e kits de refeições prontas para caminhoneiros em diversas rodovias pelo Brasil. Já foram mais de 80 mil produtos doados para hospitais dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pernambuco.

Nutrimental realizou doações de barras de cereais para hospitais do Paraná. No total, foram 276.086 barras de cereais doadas aos profissionais de saúde. A empresa também atuou em comunidades do Rio de Janeiro por meio da CUFA (Central Única das Favelas). Foram doados 6.512 quilos de alimentos, como cereal infantil, aveia, farinha láctea, farinha de cereais e flocos de cereais.

PepsiCo doou alimentos para o projeto Mesa Brasil, do SESC, bem como o equivalente a 103 toneladas (ou 575 mil unidades) de produtos próprios, como aveia, achocolatado em pó, biscoitos, água de coco, entre outros, para famílias em situação de vulnerabilidade social de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco, locais onde a empresa mantém operações industriais. Além disso, diante da paralisação do trabalho dos catadores de material reciclável, a PepsiCo antecipou investimentos realizados em programas de reciclagem dos quais faz parte, para subsidiar parte da renda dos trabalhadores das cooperativas de reciclagem. No apoio ao trabalho dos caminhoneiros, a empresa realizou vacinação contra a gripe, a distribuição de kits de proteção individual e de higiene e limpeza e triagem de saúde dos profissionais. 

Já a Unilever doou 181 toneladas de produtos alimentícios e 146 toneladas de produtos de limpeza para os governos de SP, RJ e PE. Os alimentos e produtos de limpeza foram destinados a ONG Novo Jeito, UNAS (União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região), Lar São Francisco, Hospital do Câncer de Pernambuco, entre outras entidades. Em equipamentos hospitalares, a Unilever contribuiu com a doação de 65 ventiladores para os estados de SP e PE.

Por fim, a Vigor anunciou a doação de R$ 3 milhões em alimentos, destinados a pessoas em situações de vulnerabilidade e a profissionais da saúde. No total, serão 195 toneladas de produtos da empresa, distribuídos em itens como iogurtes, leite, margarinas e queijos. As doações para comunidades já começaram a ser feitas por meio da ONG Banco de Alimentos, da instituição SESC Mesa Brasil e da Associação de Moradores Fenix do Morumbizinho, em São Paulo. A companhia também está doando iogurtes como agradecimento aos profissionais da saúde e de áreas de apoio que estão atuando na linha de frente do combate à Covid-19.

SOBRE A ABIA

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), no cumprimento de sua missão -  promover o desenvolvimento sustentável da indústria brasileira de alimentos, por meio do diálogo, ciência e inovação, com respeito ao consumidor e em harmonia com a sociedade - reforça a importância de que suas associadas sigam as recomendações do Ministério da Saúde para a contenção da pandemia de Covid-19, disponíveis em https://coronavirus.saude.gov.br/.

Sitewww.abia.org.br

Facebook      LinkedIn       Instagram

Mais informações à imprensa:

Felipe Santos – (11) 3643-2783 / 98405-7928

felipe.santos@cdn.com.br

Débora Vieira – (11) 4084-4850 / 97323-5230
debora.vieira@cdn.com.br

Compartilhar