por Abia

Brasil no Catar: BRF exporta frangos com produção alinhada aos preceitos do Islã

Os milhões de turistas visitando o Catar entre os meses de novembro e dezembro deste ano estão consumindo nos restaurantes e encontrando nas prateleiras dos supermercados de Doha diversos alimentos de origem brasileira, sobretudo à base de frango. O país, uma pequena península no Golfo, recebe todos os anos milhares de toneladas e produtos feitos especialmente para sua população, produzido em estados brasileiros como Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais.

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, é também a maior produtora de frango Halal do planeta. Esse tipo de produto é destinado ao chamado mercado Halal, que compreende em sua maioria os países do Oriente Médio, Norte da África e a Turquia, mas também é vendido para outras localidades de maioria muçulmana pelo mundo.

Para atender a essa demanda, além dos cuidados rígidos com a qualidade e o bem-estar dos animais, a Companhia também segue os preceitos do Halal. Muito mais do que um conceito, o Halal é um código ético e moral que reforça valores, incluindo regras de conduta, comportamento, alimentação, bens de consumo e serviços. Todo esse processo é certificado por entidades qualificadas que atestam a aptidão da BRF em utilizar procedimentos e matérias-primas alinhadas à lei islâmica. Atualmente, a Companhia conta com 18 unidades habilitadas a exportar para esse mercado.

O cuidado e a atenção aos detalhes já começam com as aves reprodutoras (avós e matrizes que darão origem aos frangos que serão abatidos), com a utilização de ração e insumos produzidos em conformidade às determinações da doutrina islâmica e às legislações vigentes. O controle adequado da ambiência desde o alojamento até o carregamento das aves, além de controles rígidos de biosseguridade são fundamentais para garantir um status sanitário adequado e o bem-estar das pessoas e dos animais.

Ao chegar à fábrica, as aves passam por uma inspeção padrão para garantir que estejam saudáveis e livres de estresse e em seguida são enviadas para a linha de produção, onde um profissional certificado pelos órgãos competentes realiza o abate com um único movimento em meia-lua para evitar o sofrimento do animal. Durante o processo, o peito da ave deve estar virado para a Qibla (Cidade Sagrada de Meca) e o profissional deverá pronunciar a frase "Bismillah, Allahu Akbar" que, em português, significa “Em nome de Alá, Alá é o maior.”

Somente no terceiro trimestre de 2022, o segmento Halal DDP representou uma receita líquida para Companhia superior a R$ 2,6 bilhões, um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado.

Domínio na região 

A relação da BRF com o mercado Halal teve início em meados da década de 1970, quando a Sadia começou a comercializar seus produtos para a Arábia Saudita. Atualmente, a Companhia exporta para 14 países da região e as marcas Banvit e Sadia são líderes no share e na preferência dos consumidores nos mercados da região (Banvit com participação de 22,4% na Turquia e Sadia com 39% nos países do Golfo, onde fica o Catar).

Agora, a expansão ocorre por meio dos produtos industrializados, com maior valor agregado e proximidade ao consumidor. A participação desses itens atingiu 21% do volume vendido na região do GCC, formado por Omã, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Catar, Bahrein e Kuwait.

Em junho deste ano, a BRF inaugurou sua mais nova planta na cidade de Dammam, na Arábia Saudita. A unidade foi adquirida em janeiro de 2021 e recebeu investimentos de cerca de US$ 18 milhões, que elevaram sua capacidade de produção mensal para 1.200 toneladas de alimentos. A Companhia também assinou a criação de uma Joint Venture em conjunto com o Public Investment Fund -- PIF, fundo de investimentos soberano da Arábia Saudita, que terá por objetivo desenvolver a cadeia completa de produção de frango naquele país e consolidar ainda mais a liderança da BRF na região.

“Atingir esses patamares é fruto de um imenso trabalho de nossa equipe, que se apoia na excelência comercial, forte presença local com preferência de marcas, intensa agenda de inovações e campanhas bem-sucedidas que estimulam um mix mais rentável”, salienta o vice-presidente de Mercado Halal da BRF, Igor Marti.

De acordo com ele, também há a contribuição de fatores externos, como a volta do turismo após dois anos de pandemia. “As viagens internacionais foram retomadas com um fluxo muito grande de pessoas visitando a Arábia Saudita, por motivos religiosos, e Dubai, um lugar natural de destino de capital e pessoas. Está ocorrendo também uma forte expansão da economia local impulsionada pelos grandes eventos.”

No primeiro trimestre, por exemplo, ocorreu a Expo 2020 em Dubai, que levou mais de 20 milhões de pessoas aos Emirados Árabes Unidos. Já no fim deste ano ocorre o mundial de futebol, no Catar, país onde a BRF é líder absoluta.

Sobre a BRF

Uma das maiores empresas de alimentos do mundo, a BRF está presente em mais de 127 países. Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas e seus pets em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Dona de marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy, a Companhia pauta suas ações nos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade. A empresa baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para seus mais de 100 mil colaboradores no mundo, mais de 300 mil clientes e aproximadamente 10 mil integrados no Brasil, todos os seus acionistas e para a sociedade.

Contato Imprensa -- BRF: imprensa@brf.com 

Foto: MIGUEL MEDINA/AFP via Getty Images)

Compartilhar